1º Simpósio Fluminense de Acústica – A Acústica no Dia a Dia

A regional Rio de Janeiro da Sociedade Brasileira de Acústica – SOBRAC promoveu nos dias 13 e 14 de novembro, na Capela Ecumênica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, o 1º Simpósio Fluminense de Acústica | a Acústica no Dia a Dia. O evento teve como objetivo divulgar a acústica, estabelecendo um diálogo entre a sociedade e o meio acadêmico.

Os profissionais presentes no evento realizaram relevantes discussões sobre diversos temas da acústica, como Saúde Auditiva, Acústica Musical, Acústica Ambiental, Metrologia, Acústica Computacional e Acústica Hidrossanitária. O simpósio foi iniciado com o recital do Conjunto de Cordas Friccionadas da UERJ.

Conheça alguns dos destaques do evento:

Katya Freire, Diretora Geral e Fonoaudióloga Clínica da Audicare, ministrou a palestra “Saúde Auditiva: prevenção e reabilitação”, apresentando desde os mecanismos que propiciam o ouvir e o escutar, fazendo um panorama dos problemas do ruído em excesso e formas de prevenção/reabilitação, terminando por expor o trabalho junto aos profissionais de som e cantores de renome.

Leonardo Fuks ministrou a palestra “On the Sensations of Music Acoustics: os 140 anos do livro pioneiro de Helmholtz, numa perspectiva contemporânea”, apresentando uma análise atual das promessas e contribuições desta obra multidisciplinar no pensamento musical, fazendo diversas associações que exemplificam a sua reapropriação por outras disciplinas. 

Roberto Tenenbaum  realizou a palestra “Realidade Virtual Acústica: definição, aplicações e exemplos sonoros”, abordando os seguinte tópicos: conceituação da realidade virtual acústica e aurilização das salas; simulação computacional de campo acústico com aplicações; redes neurais artificiais e modelagem das funções de transferência associadas à cabeça humana; código computacional RAIOS; intercomparação internacional.

Jules G. Slama realizou o minicurso “Acústica Ambiental | Integração Urbana de Aeroportos a partir do Controle de Ruído, apontando como um aeroporto traz diversas vantagens para as populações próximas, sendo também uma fonte extensa de ruído. O profissional apresentou diversas contribuições do grupo de estudos GERA – COPPE UFRJ para a área, como a introdução de novas curvas de ruído nas métricas LAeqD e LaeqN, a aplicação de sistema Fuzzy e transformadas wavelet para definição e observação dos problemas.

José Flávio Feiteira realizou o minicurso “Acústica Computacional”, onde abordou a análise e síntese de ondas sonoras produzidas por instrumentos musicais, através dos tópicos: geração e gravação de arquivos sonoros; captação de sinais sonoros; análise espectral (transformada de Fourier); síntese de ondas sonoras características de instrumentos musicais.

Os final do evento, um momento de puro deleito com o show da cantora Syla Syeg, acompanhada de violão (Antonio Cláudio  Lourenço dos Santos), oboé (Leonardo Fuks) e teclado (Marilda Duboc), com uma pequena homenagem aos 170 anos da primeira maestrina do Brasil, Chiquinha Gonzaga.

Anterior NBR 10152:2017 é publicada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas
Próximo Chamada de trabalhos para o SysMus18

0 comentários

Nenhum comentário ainda!

Você pode ser o primeiro a comentar essa publicação!